Economia

Avaliada em R$ 30 bilhões, Braskem prepara a venda

Bancos coordenadores da oferta vão iniciar o road show a possíveis compradores para a petroquímica que hoje pertence à Odebrecht e Petrobras

Odebrecht precisa se desfazer da petroquímica para cumprir seu plano de recuperação judicial
Odebrecht precisa se desfazer da petroquímica para cumprir seu plano de recuperação judicial
Depois de valorizar 60% no ano na bolsa, chegou a hora de botar a venda da Braskem na rua. A Odebrecht tem até o fim do ano para se desfazer do ativo, de acordo com seu plano de recuperação judicial, e estava esperando o melhor momento para reiniciar o processo. Segundo fontes próximas ao negócio, este momento chegou e a venda vai começar a esquentar nestes meses de abril e maio quando os coordenadores começarão a fazer road shows para buscar possíveis compradores. A Braskem tem um valor de mercado de quase 30 bilhões de reais e a Odebrecht divide o controle da empresa com a Petrobras. A estatal não tem obrigação de vender sua parte, mas já demonstrou interesse em sair do ativo.

A venda da petroquímica chegou a ser negociada, há dois anos, mas não foi para frente. Em 2020, com o desastre geológico em Maceió e a briga com o governo mexicano, o processo de venda foi paralisado. Com os dois assuntos equalizados, as ações da Braskem subindo e o dólar deixando a empresa barata para investidores estrangeiros, o momento ficou propício. Como vender ativos com prazo definido pode acabar forçando negociações menos favoráveis, os bancos credores da Odebrecht até concordaram em estender o prazo para fechamento do negócio para além de 2021 desde que pelo menos haja negociações firmes na mesa até o fim do ano.

Veja - Radar Econômico
Voltar Voltar Voltar ao topo da página Topo


Principal  |   Expediente   |   Sugestões   |   Anuncie

© 2021 Turismo & Negócios - Todos os direitos reservados

[email protected]