Busca:     

Desastre

O cinismo da Braskem depois do relatório sobre o Pinheiro

Marcelo Cerqueira, da Braskem: nada de pedir desculpas
Marcelo Cerqueira, da Braskem: nada de pedir desculpas
A Braskem precisou esperar o relatório da CPRM, que a acusa de ser a única responsável pelo desastre e ameaças que hoje vive a população do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, para admitir que sabia dos problemas dos poços de exploração da multi.

A declaração do vice-presidente da empresa, Marcelo Cerqueira, soa cínica. Principalmente porque, ao longo de todo esse dramático processo, a empresa negou o tempo inteiro que era responsável pelos prejuízos causados aos bairros e aos moradores. Uma lástima de declaração. É quando se tenta emendar uma questão irremediável, ou, como se diz na literatura, a emenda saiu pior que o soneto.

No rastro do cinismo, o senhor Cerqueira diz que a CPRM foi informada por ela sobre os problemas nos poços.

Acontece que dos 35 perfurados, entregou relatórios contraditatórios de apenas 8. O cúmulo do cinismo é quando o diretor diz que a empresa trabalha pelo retorno dos moradores às suas casas.

Isso nada mais é do que querer empurrar o caso com a barriga e enganar as autoridades. Com toda certeza não engana mais a ninguém.

O relatório é claro: a Braskem é a culpada e deve pagar pelos seus erros.

Há três bairros maceioenses afetados, sem falar na própria Lagoa Mundaú (esse é um outro detalhe a ser visto), famílias inteiras prejudicadas, empreendedores, empresários e toda uma população que vivia tempos de paz pensando que tudo ao redor estava na mais absoluta normalidade.

Ledo engano. O caos dominou a vida de todos, enquanto a empresa exportava seus produtos via pier na praia do Sobral, faturando anualmente milhões de dólares.

O senhor Cerqueira não sabe, mas o povo maceioense merece respeito.

A Braskem que assuma seus erros e pague pelos seus pecados horrendos. Mas, antes disso, que diga: Perdoem-me Mutange, Pinheiro e Bebedouro.

Isso nada resolve, mas seria mais honesto com a nossa gente. Já que não se dignou a isso aguarde a resposta de uma gente brava e lutadora desta terra.
Voltar Voltar Voltar ao topo da página Topo


Principal  |   Expediente   |   Sugestões   |   Anuncie

© 2019 Turismo & Negócios - Todos os direitos reservados

[email protected]